segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

Felicidade



Na cósmica ordem não há visão
balestilha, rumo ou horizonte
o que liga vida e morte é uma ponte
de espuma informe, de ilusão

O tempo é um parêntesis de agitação
desses dias alijados da eternidade
em que a busca da evasiva felicidade
é insanamente repetida, sempre em vão

É que isso de ser feliz, de bem viver
é algo tão fugaz e azougado
que a ninguém conseguirá satisfazer
A felicidade costuma dar-se a conhecer
somente àquele que nada faz, preocupado
em criar obra ou situações, prà merecer

Daniel D. Dias

Sem comentários:

Publicar um comentário