terça-feira, 17 de novembro de 2015

acordar



perco-me no sono
abandono-me sem receio nessa floresta de sombras
onde já não habitam feras nem fantasmas

e acordo, saturado dessa proteção intangível
sempre um pouco mais nu e mais lúcido

a luz que me acorda  é cada vez mais intensa
devassa a minha mente e aniquila residuais fantasias
magoa os meus olhos cansados

fico disponível, atento, em estado de prontidão
mais do que nunca estive
e no entanto a indiferença cresce em mim
com a persistência duma hera

não estou alegre nem triste
nem tenho planos:
estou simplesmente aqui…

será isto a vida, este acordar sem projeto?


Daniel D. Dias

Sem comentários:

Publicar um comentário